Configuracao de filtros BGP usando Extended Routing Policy Language (XPL) no Huawei

De Wiki BPF
Revisão de 19h08min de 17 de dezembro de 2019 por Fernando.frediani (discussão | contribs) (Adicionado à categoria de Roteamento)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Autor: Humberto Galiza

Introdução

Huawei é o novo "bacon" dos provedores de Internet brasileiros. (Operador de rede desconhecido.)

O tema desse breve artigo é explicar um pouco sobre como a linguagem estendida de política de roteamento (em Inglês, Extended Routing Policy Language - XPL) da Huawei pode ajudar a construir uma política de roteamento BGP "robusta" e em compliance com as melhores práticas de filtragem/segurança na Internet (como o MANRS por exemplo).

Definição do problema/motivação

Há alguns dias atrás um colega me fez a seguinte pergunta:

"Há alguma maneira de otimizar as configurações de filtragens de prefixos usando Huawei como roteador de borda/trânsito? Esclarecendo um pouco mais, eu sempre construi os filtros usando duas prefix-lists (quatro considerando IPv6) para cada ASN de origem que estivesse no cone do downstream que eu estou filtrando. Porém, a coisa tá ficando grande...difícil de escalar. Tem uma receita mágica para isso?"

Exemplo de prefix-list do problema em questão:

  • BGP_ASXYZ-v4 - Geralmente contendo os prefixos registrados no IRR como origem daquele ASN
  • BGP_ASXYZ-v4_BH - Mesma coisa da anterior, mas mudando o "LE" (menor ou igual) "GE" (maior ou igual) pra 32, e dando match combinado com community de blackhole

Explicando um pouco mais, o raciocínio do colega é baseado na utilização de uma route-policy para cada cliente de trânsito. Uma cláusula "if-match" nessa route-policy tentará fazer o casamento para cada uma das "prefix-lists" listadas acima e eventualmente fará um "apply" com alguma ação a ser aplicada quando ocorrer esse casamento:

route-policy CLIENTE-XPTO permit 10
 if-match BGP_ASXYZ-v4
 apply "ACAO1_XYZ"

route-policy CLIENTE-XPTO permit 20
 if-match BGP_ASXYZ-v4_BH
 if-match community-filter COMM-RTBH
 apply "ACAO2_XYZ_BH"

Como se pode notar há uma duplicidade (redundância) de informações: duas prefix-list com os mesmos prefixos sendo a única diferença entre elas o tamanho do bloco. Além disso, vale lembrar que nos equipamentos da Huawei só conseguiremos aplicar uma route-policy por peer BGP (quem já trabalha com JunOS, por exemplo, cujo tem a possibilidade de usar policies encadeadas sequencialmente, isso é um balde de água fria :-( ).

Essa inflexibilidade da route-policy limita bastante a possibilidade de se construir uma política de roteamento mais robusta. Exemplos de casos de uso mais complexos incluem (mas não se limitam a) a marcação de communities condicionais para engenharia de tráfego (ex: aumentar/diminuir o Local-Pref/MED, as-path prepend) e também o Remote Triggered Blackhole (RTBH), quando o cliente anuncia um prefixo específico (/32 IPv4 ou /128 IPv6 por exemplo) e deseja que o tráfego destinado àquele prefixo seja descartado. Portanto, trata-se aqui de uma situação comum nos ambientes de ISP que fornecem trânsito IP(v4/v6).

eXtended routing-Policy Language - XPL

De acordo com a própria documentação do fabricante a linguagem extendida de política de roteamento (XPL) serve exatamente para filtrar ou modificar atributos das rotas/prefixos aprendidos via BGP.

A XPL tem as mesmas funcionalidades das "route-policies", porém utiliza métodos de edição e filtragem completamente diferentes. Essa é a diferença chave que traz a flexibilidade necessária para a construção de políticas de roteamento mais robustas.

Além dos operadores já bem conhecidos das route-policy, a XPL traz também os seguintes blocos fundamentais:

  • Início/fim de bloco: demarca o início/fim de um bloco de configuração. Exemplos:
Início Fim
xpl global-value: início da seção de variáveis globais. end-global-value: final da seção de variáveis globais.
xpl ip-prefix-list ip-prefix-list-name: início de uma lista de prefixos IPv4 end-list: final de uma lista de prefixos IPv4
xpl community-list community-list-name: início de uma lista de community end-list: final de uma lista de community
xpl route-filter route-filter-name: início de um route-filter end-filter: final de um route-filter
  • Operadores lógicos: indica relacionamentos lógicos. Exemplos:
    • eq/ge/le: igual a/maior ou igual a/menor ou igual a
    • in: incluso/presente conjunto
    • if: "se"/inicia um bloco condicional de comparação
    • elseif: "senão-se"/ condicional de comparação
    • else: "senão"/ condicional de comparação
    • then: "então"/ usada no formato if+<condição/critério>+then or elseif+<condição/critério>+then.
    • apply: "ação" que será implementada caso haja o casamento da <condição/critério> avaliado.
    • endif: "fim-se"/encerra o bloco condicional de comparação.
  • Elementos de <condição/critério>: são as condições a serem "casadas" no route-filter.

A lista acima é apenas para dar ao leitor um "norte" a respeito dos blocos básicos, operadores lógicos e elementos de comparação e ações suportadas pela XPL. Uma consulta a documentação oficial (ver a seção de referências) é extremamente encorajada.

Exemplos práticos com XPL

  • Exemplo 1: criar uma lista de prefixos com as rotas 1.1.1.0/24, 2.2.2.0/24, e 3.3.3.3/32. Criar um filtro que aplique um valor de 900 para o local-preference para esses prefixos, e 500 caso contrário:
xpl ip-prefix-list CLIENTE-XPTO
1.1.1.0 24,
2.2.2.0 24,
3.3.3.3 32
end-list
xpl route-filter CLIENTE-XPTO-IMPORT
  if ip route-destination in CLIENTE-XPTO then
    apply local-preference 900
  else
    apply local-preference 500
  endif
end-filter
  • Exemplo 2: criar uma as-path access-list com as rotas recebidas do AS 65501, as rotas que passaram pelo AS 65502, e as rotas que foram originadas pelo AS 65503. Criar um filtro que negue as rotas recebidas do AS65501, as rotas que passaram pelo AS 65502, e as rotas que foram originadas pelo AS 65503:
xpl as-path-list AS_PATH-NEGAR-XYZ
regular ^65501_,
regular _65502_,
regular _65503$
end-list
xpl route-filter NEGAR-XYZ
if as-path in AS_PATH-NEGAR-XYZ then
 refuse
else
 approve
endif
end-filter
  • Exemplo 3: criar uma prefix-list e uma as-path access list para o cliente de trânsito AS65510-192.0.2.0/24. Criar um filtro que valide e aceite as rotas recebidas e o as-path do cliente, e marque-os com a community de trânsito para os upstreams.
xpl as-path-list AS65510-TRANSIT-ASPATH
regular _65510$
end-list
xpl ip-prefix-list AS65510-IPV4-NETS
192.0.2.0 24
end-list
xpl route-filter CUSTOMER-AS65510-IPV4-IMPORT
if ( ip route-destination in AS65510-IPV4-NETS ) and (as-path in AS65510-TRANSIT-ASPATH) then
  apply community COMM-ALL-TRANSIT-CUSTOMERS additive
  approve
endif
end-filter
  • Exemplo 4: criar um filtro de RTBH para o AS65400. Toda vez que receber um prefixo IPv4 /31-/32 do cliente BGP AS65510-192.0.2.0/24, alterar o next-hop para 192.0.2.1 e marcar o prefixo também como blackhole para os upstreams e IXPs. Os demais prefixos devem ser aceitos e marcados com a community de trânsito para os upstreams, Local-Preference 600 e MED 0.
xpl community-list COMM-SET-BLACKHOLE
65400:666
end-list
xpl as-path-list AS65510-TRANSIT-ASPATH
regular _65510$
end-list
xpl ip-prefix-list AS65510-IPV4-NETS
192.0.2.0 24 le 32
end-list
xpl route-filter BGP-IPV4-CUSTOMER
if ( community matches-within COMM-SET-BLACKHOLE ) and (ip route-destination in {0.0.0.0 0 ge 31 le 32} ) then
 apply ip next-hop 192.0.2.1
 apply community COMM-SET-BLACKHOLE-UPSTREAM-XYZ additive
 approve
endif
if (ip route-destination in {0.0.0.0 0 le 24} ) then
  apply community COMM-ALL-TRANSIT-CUSTOMERS additive
  apply local-preference 600
  apply med 0
  finish 
endif
end-filter
xpl route-filter CUSTOMER-AS65510-IPV4-IMPORT
if ( ip route-destination in AS65510-IPV4-NETS ) and (as-path in AS65510-TRANSIT-ASPATH) then
  call route-filter BGP-IPV4-CUSTOMER
  approve
endif
end-filter
### CUSTOMER BGP CONFIG
bgp 65400
 peer 100.64.0.2 as-number 65510
 peer 100.64.0.2 description "CLIENTE DE TRANSITO ACME - AS#65510"
 #
 ipv4-family unicast
  peer 100.64.0.2 enable
  peer 100.64.0.2 route-filter CUSTOMER-AS65510-IPV4-IMPORT import
 #

Conclusão

Este artigo descreveu os elementos básicos da XPL e como utilizá-la para construir filtros mais robustos para o seu roteador de borda/trânsito. A curva de aprendizagem da linguagem é muito baixa, e os benefícios de sua utilização são imediatos. Quem já teve experiência com JunOS ou IOS-XR deve ter percebido as inúmeras semelhanças entre a XPL e as linguagens disponibilizadas por essas plataformas.

A configuração de exemplo demonstrada foi testada e validada em laboratório utilizando um roteador Huawei NE40-M2K-B. No entanto a documentação da Huawei cita também o suporte para o modelo NE20 (veja seção de referências). Para a linha de switches Huawei S6720/S6730 aparentemente o XPL ainda não é suportado (i.e., até a data de publicação desse artigo não encontrei nenhuma referência na documentação oficial).

Ainda sobre a configuração, há que se destacar que quando construímos um filtro usando a linguagem XPL a aplicação da mesma no peer BGP utiliza palavra-chave "route-filter", ao passo que um filtro "convencional/não XPL" utiliza a palavra-chave "route-policy".

Por fim, como se pode ver nos exemplos utilizando XPL é possível expressar de maneira clara e objetiva a política de roteamento adotada localmente. O uso da XPL abre uma outra possibilidade interessante que é a automação da construção/manutenção de listas de prefixos, as-path acl's e route-filters utilizando fontes externas de dados. No próximo artigo eu farei a cobertura dessa componente de automação utilizando o bgpq3, alguns scripts em Python e mais algumas outras opções de código aberto disponíveis na Internet. Espero que tenham gostado, e fiquem à vontade para contribuir com mais informações aqui no artigo!

Referências:

  1. NE40E V800R010C00 Configuration Guide - IP Routing 01 / XPL configuration overview
  2. NE20E-S V800R011C00 Feature Description - IP Routing 01